Sobre a Renault

renault-logo-angolaA história da Renault deriva de uma verdadeira aventura, quando as primeiras encomendas foram feitas ao industrial francês Louis Renault, que aos 21 anos construiu o seu primeiro automóvel no quintal da casa de sua mãe.

Em 1991, a construtora decidiu terminar com a designação dos modelos de carros por números, uma tradição desde sua fundação. Nesta década, a Renault entrou em uma nova etapa de sua história, passando novamente para a iniciativa privada em 1996.

A sua capacidade de inovação foi destacada principalmente com lançamentos de sucesso como o compacto Clio, o versátil Twingo, o luxuoso Laguna, o popular Mégane, a funcional Scénic e o ousado Kangoo.

Em 2 de janeiro de 2001, a Renault vendeu a sua subdivisão de veículos industriais (conhecida como “Renault Véhicules Industriels”) para a Volvo, que a rebatizou de Renault Trucks em 2002.

 

 

No dia 8 de dezembro de 2007 a Renault anunciou uma parceria com empresas estatais russas para revitalizar a AvtoVAZ e a tradicional marca Lada.

Recentemente, o lançamento do Koleos (primeiro utilitário crossover 4X4 da montadora) foi o 11º modelo dos 26 anunciados para dinamizar o crescimento da Renault no mundo. Com o lançamento de um Crossover 4X4, a construtora prossegue a sua ofensiva de produtos e completa a sua oferta de automóveis, propondo um modelo inédito na história da marca. Em 2008, a Renault fez nove lançamentos mundiais. Apesar da grave crise financeira que o mundo atravessou em 2010 a construtora bateu o recorde histórico de vendas com 2.6 milhões de unidades comercializadas. Somente na Europa foram vendidos mais de 1.6 milhões de veículos.

A Renault Sport Technologies (mais conhecida como Renault Sport ou RST) é a divisão francesa de automobilismo da Renault. A Renault Sport foi responsável pelas corridas de automóvel durante a década de 1970, incluindo a vitória nas 24 Horas de Le Mans de 1978, com o Alpine A442.

A Renault Sport F1 é uma divisão da construtora francesa de automóveis Renault destinada a Fórmula 1, que foi criada para supervisionar as actividades técnicas e desportivas. O primeiro centro das suas actividades localiza-se em Viry-Châtillon, o centro técnico das actividades da Renault na F1, que fica no sul de Paris. As equipes recebem motores idênticos, que recebem manutenção de um grupo de seis especialistas em motores e técnicos por equipa.

A Renault forneceu motores durante 3 períodos na Fórmula 1. Os motores Renault conquistaram dez títulos mundiais do Campeonato Mundial de Construtores e nove títulos do Campeonato de Pilotos.

 


partilha: